Disciplina de Mercado

Nota Introdutória

Em cumprimento do Aviso 10/2007, do Banco de Portugal, pretende o presente documento prestar informação sobre a actividade da Dif Broker- Sociedade Financeira de Corretagem, S.A., numa óptica prudencial e de acordo com as recomendações do acordo Basileia III.

  1. Declaração de Responsabilidade

    O Conselho de Administração da Dif Broker - Sociedade Financeira de Corretagem S.A., declara que nos termos e para os efeitos do Aviso 10/2007 do Banco de Portugal, procede de acordo com os seguintes requisitos:

    • Certifica que foram desenvolvidos todos os procedimentos considerados necessários e que, tanto quanto é do seu conhecimento, toda a informação divulgada é verdadeira e fidedigna;
    • Assegura a qualidade de toda a informação divulgada;
    • Compromete-se a divulgar tempestivamente, quaisquer alterações significativas que ocorram no decorrer do exercício subsequente àquele a que o documento se refere;


    Durante o ano de 2015 foram realizados dois aumentos de capital em simultâneo que totalizam 1.810.000€, dos quais 300.000€ por incorporação de reservas e 1.510.000€ por novas entradas de dinheiro, na sequência da transformação da Dif Broker em Sociedade Financeira de Corretagem.

  2. Âmbito de Aplicação e Políticas de Gestão do Risco

    A Dif Broker, Sociedade Financeira de Corretagem, S.A., oferece aos seus clientes (empresas, particulares e institucionais) um conjunto de serviços e instrumentos financeiros que permitem actuar nos mais diversos mercados financeiros.

    A Dif Broker detêm 100% a sucursal em Espanha, Dif Broker Sucursal en España S.L. As demonstrações financeiras da Sucursal são integradas de acordo com as normas internacionais de contabilidade e regras prudenciais do Banco de Portugal.

    A Sociedade tem sede em território nacional estando obrigada ao cumprimento das normas vigentes actualmente em Portugal, relativas a transferências de capitais, e tanto quanto é conhecimento da Dif Broker não existem impedimentos significativos para uma rápida transferência de fundos próprios.

    A Dif Broker não reúne as condições previstas no artigo 3º do Decreto-lei 145/2006 de 31 de Julho, para ser considerado conglomerado financeiro.

  3. Objectivos e Políticas de Gestão de Risco

    A Dif Broker não tem exposição ao risco de mercado que advém principalmente da incerteza decorrente de investimentos no mercado financeiro com consequências ao nível de alterações de taxas de juro, de preços de activos e de taxas de câmbio.

    A Dif Broker não actua directamente nos mercados financeiros, não concede crédito, e não possui carteira própria de instrumentos financeiros, não estando por esta via exposta ao risco de crédito e de mercado.

    No que diz respeito ao risco operacional, a Dif Broker, tem um departamento de compliance, independente, garantindo a aplicação das melhores práticas, e de forma a dar ainda mais transparência e eficiência ao processo de Controlo Interno.

    O Conselho de Administração aprovou a política de gestão de riscos da empresa estando todos os colaboradores informados.

  4. Adequação de Capitais

    • 4.1. Informação Qualitativa

      Os fundos próprios da sociedade são determinados com base o estabelecido no Aviso 12/92 do Banco de Portugal. A 31 de Dezembro de 2015, o capital próprio da Dif Broker, era constituído pelo capital elegível, reservas e resultados elegíveis.

      O Banco de Portugal acompanha e supervisiona a actividade da Dif Broker, em matéria prudencial, salvaguardando a estabilidade e solidez do sistema financeiro.

    • 4.2. Informação Quantitativa / Modelos

      Os valores monetários apresentados, se nada estiver indicado em contrário, encontram-se em euro e refletem as posições do Sociedade em 31 de Dezembro de 2015.

      Para efeitos da Adequação de Capital, nomeadamente quanto à suficiência do capital da Dif Broker, os fundos próprios mínimos requeridos, por lei, têm que corresponder a pelo menos 50% do capital social ou a 1/4 das despesas gerais fixas do ano anterior. No caso da Dif Broker, a posição de capital é excedentária, sendo que o capital próprio representava, à data de 31 de Dezembro de 2015 cerca de 130% do capital social.

      O capital mínimo requerido para uma Sociedade Financeira de Corretagem é de €3.500.000. A 31 de Dezembro de 2015, o capital próprio da Dif Broker ascende e €4.929.932, o que corresponde a um excedente, em relação ao mínimo requerido para este tipo de sociedade de, €1.425.526

  5. Risco de Crédito de Contraparte

    Não aplicável
  6. Risco de Crédito

    Não aplicável
  7. Técnicas de redução do Risco de Crédito

    Não aplicável
  8. Operações de Titularização

    Não aplicável
  9. Riscos de Posição, de Crédito de Contraparte e de liquidação da carteira de Negociação

    Não aplicável
  10. Riscos Cambial e de Mercadorias das Carteiras Bancária e de Negociação

    Não aplicável
  11. Posições em Risco sobre Acções de Carteira Bancária

    Não aplicável
  12. Risco Operacional 

    A Dif Broker, calcula os requisitos de fundos próprios para o Risco Operacional, de acordo com o Método do Indicador Básico. Elementos contabilísticos considerados relevantes para cálculo do indicador:

    • Receitas de juros e proveitos equiparados
    • Encargos com juros e custos equiparados
    • Comissões recebidas
    • Comissões pagas
    • Operações financeiras
    • Outros proveitos de exploração 
  13. Análise de Sensibilidade dos Requisitos de Capital

    • Risco de Taxa de Juro na Carteira Bancária - A Dif Broker por não ter uma carteira de negociação, não está exposta ao risco de taxa de juro na carteira bancária.